quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Coletivos de catadores buscam melhorias na gestão e renda

Estratégias de organização e possibilidades de construção coletiva para aumentar a renda e o poder de comercialização de material reciclável foram discutidas durante reunião de coordenação dos 14 coletivos de catadores de lixo organizados pela Associação Caminho das Águas e o projeto Ecoprofetas. O encontro que ocorreu na tarde do dia 15 de agosto, no auditório da CUT/RS, serviu também para que todos pudessem refletir e acumular dados sobre a planilha de produção e comercialização, a importância do intercâmbio e troca de experiências entre os coletivos de trabalho. Outro tema debatido foi a necessidade de serem constituídas centrais de venda dos produtos, para agregar mais valor aos produtos comercializados. O Projeto Ecoprofetas é desenvolvido pela Associação Caminho das Águas e conta com o patrocínio do Programa  Petrobras Desenvolvimento & Cidadania.

A gestão integrada dos resíduos sólidos nos municípios da região metropolitana é apontada como uma das formas de se alcançar maior renda e qualidade de vida. Esta possibilidade está aberta a partir da aplicação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), sancionada pelo Presidente Lula em 2010, em vigor desde agosto de 2012 e que aponta para as responsabilidades do Poder Público. “É preciso estudar, conhecer os produtos, melhorar a separação para que haja maior retorno”, salientou Roque Grazziola, um dos educadores do projeto Ecoprofetas.

Outro educador, Roque Spies lembrou que existem muitas experiências de coletivos que conseguem vender diretamente para as fábricas, evitando o atravessador. “O mercado dita os preços primeiro através da indústria, mas há casos em que um mesmo comprador paga preços diferenciados de um coletivo para outro”.

Os educadores do projeto estão encaminhando junto aos coletivos de catadores uma planilha para ser preenchida mensalmente. As coordenações dos coletivos foram motivadas a compartilhar estas planilhas com o objetivo de expor o valor pelo qual cada grupo comercializa os produtos e de pensar uma estratégia de venda conjunta. A Cooperativa de Dois Irmãos abordou sua experiência de ações de beneficiamento através de parceria com o Poder Público, agregando valor aos seus produtos. A educadora Alda Beatriz Fortes disse que nos municípios de São Leopoldo e Canoas estão sendo debatidas iniciativas para constituição de centrais de comercialização, envolvendo poder público, cooperativas, associações e universidade (Unisinos).
Irmão Antônio Cechin enfatizou, no final do encontro, a importância do trabalho e o papel dos catadores no mundo atual. “O catador é o médico do planeta, um sanitarista da humanidade”.
Participaram do encontro os coletivos Associação dos Catadores da Ilha Grande dos Marinheiros, Associação Ecológica Ruben Berta, Reciclando Pela Vida, Nova Conquista, Coletivo Zona Norte, todos de Porto Alegre, além da Renascer, de Canoas; Cooprevive, de Sapucaia do Sul; Nova Conquista, de São Leopoldo; Colabore, de Novo Hamburgo; e Cooperativa dos Recicladores, de Dois Irmãos.