quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

2012-2013 A luta para salvar o planeta e incluir os catadores

Irmão Cechin no lançamento do Projeto Ecoprofetas no Palácio Piratini

Em longa entrevista ao portal de notícias Sul21 (www.sul21.com.br), Irmão Antonio Cechin, Coordenador do Projeto Ecoprofetas, desenvolvido pela Associação Caminho das Águas com patrocínio do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania, fala de sua vida de lutas e da opção pelos mais pobres. Da inclusão dos trabalhadores de menor renda; do projeto de formação e empoderamento dos catadores; da Lei Nacional dos Resíduos Sólidos; do trabalho de conscientização para a necessidade de separação do lixo pela sociedade; da salvação do planeta pela redução do consumo e reciclagem.




A entrevista é uma oportunidade para conhecer um pouco mais da história dos movimentos sociais e das alternativas de trabalho e renda no terceiro setor, principalmente da economia solidária.


Veja alguns trechos da entrevista:

-"Esta Lei das Carroças é desta administração. O vice-prefeito é o autor da lei (Sebastião Melo). É algo contra a Lei Nacional de Resíduos Sólidos, criada pelo governo Lula e que prevê que a catação tem que ser feita diretamente pelos catadores. Porém, a única catação que se fazia em Porto Alegre e que vem reduzindo é feita pelos carrinheiros e carroceiros. Esta lei municipal é para acabar com tração animal e humana, exatamente a atividade de catação que ainda existe em Porto Alegre...Na prática, a única diferença é que carroceiros têm um meio de transporte melhor do que o carrinho de mão dos carrinheiros; na verdade, ambos são fundamentais para a saúde da sociedade. Estes ecoprofetas são responsáveis por 70% da reciclagem do lixo da cidade. As coletas feitas pelo poder público não representam 15%".

-"É toda a sociedade que não tem consciência. O Brasil é o segundo país do mundo em produção de lixo. As atividades dos catadores são vitais para a saúde do meio ambiente. Aqui o governo criou uns contêineres que todos acham uma maravilha, mas está misturando o lixo seco com o orgânico e acabando com a matéria-prima dos recicladores. Por outro lado, quando vejo essas campanhas institucionais sobre a educação eu me contorço de raiva. Esta burguesia não sabe nem separar o lixo em casa e quer falar em educação...Há um preconceito das pessoas com os catadores, principalmente das que moram perto das unidades de reciclagem ,que se isolam com muros e grades como se estas pessoas fossem lixo."

-"Este gauchismo de hoje, dentro dos CTGs, não apresenta militância em nenhum sentido para mudar alguma coisa. Para o gaúcho machista, Deus não pode existir porque não pode haver ninguém acima dele, nem mesmo Deus pode humilhá-lo. O pai patrão, típico da grande fazenda, é o cúmulo da blasfêmia".

-"Todos votavam na hora da eleição na classe dominante. Lula conseguiu e firmou a classe trabalhadora no poder. Porém, tanto ele quanto Dilma têm o governo, mas não têm o poder. O poder está no dinheiro".

Clique no 'link' abaixo e leia a entrevista, na íntegra.